Arquivo

Archive for the ‘Papo a Toa’ Category

Sem Ensaio Para Viver

Quais serão os maiores desafios do ser humano? A vida, a morte, aceitação… amor fati?

Nascemos, crescemos, aprendemos, tentamos, experimentamos. Então somos podados, alinhados, moldados e doutrinados.

Então vem a amnésia, você já tem cinco anos, vá para a escola e aprenda tudo, seja um orgulho. A primeira namorada, não decepcione, ela é para sempre – você já tem 16 anos. Com 18, você está atrasado, ainda não passou na faculdade. Escolha logo a sua profissão, você já tem 23 anos e não se decidiu. Aos 30 está formado, é um administrador de empresas e trabalha como louco – você não tem tempo para a sua família e seu amigos. Aos 40, não sabe onde está – foi o coração, dizem os médicos. Tem 50, “só faltam 13″… Chega a aposentadoria, você está velho, arrependido e com medo da morte.

Tanto medo da morte quanto teve da vida?

Você perdeu a chance de dizer NÃO, de olhar para os lados, para o horizonte, para si mesmo e dizer SIM.

A vida é um eterno retorno, certo? Mas ela não volta… e é única.

Desafio… a dificuldade do ser humano é se permitir viver a vida.

Grande aquele que a beira da morte, no fim da vida diz: Se eu pudesse, não mudaria nada.

Anúncios

Mindsturbation

05/10/2010 1 comentário

Este post é impróprio para a minha mãe


Como todos vocês sabem – milhões de visitantes e fãs do blog Watafãque – hoje eu moro sozinho em um apartamento na Vila Gumercindo. E quando vi o apartamento, logo de cara gostei muito de uma coisa: o chuveiro é a gás. Ou seja, você liga o registro e um aparelho lá na área de serviço acende o fogo dentro de uma caixa, aquecendo a água que vai pro seu banho.

Teoria.

Mas que maravilha rapaz… vou economizar muito com energia elétrica – pensei assim, pois gosto de banhos quentes e demorados.

Aliás, nunca entendi a relação entre viadagem e banhos demorados. Água quente na cabeça por muito tempo faz as pessoas ficarem afeminadas? Comigo não é assim, nunca saí de um banho demorado pensando “putz, que vontade de dá”. Mas cada um, cada um, enfim…

Voltando à teoria de funcionamento… na prática não é bem assim. Meu aquecedor decidiu fazer igual ao dono e só trabalhar quando quer. O que não é bom pro dono… em relação à sua própria atitude e do seu mais novo subordinado, o aquecedor.


O preguiçoso (ao fundo, lógico)

E esses banhos são muito importantes, tanto pra higiene quanto para a criatividade, como já foi discutido com o psicanalista:

– Mas porque você demora no banho, fica se masturbando?

– Não… parei com isso. Eu fico viajando, pensando na vida, tendo idéias… tenho muitas idéias durante o banho.

– Humm (coçando a barba), então você fica se masturbando mentalmente?

– Masturbação mental… é uma boa definição.

 

Já tive grandes idéias e inventei coisas geniais durante o banho.

Sou um daqueles que inventam e não patenteiam. No banho então…

Eu sinto que poderia trabalhar no Google ou sei lá… na Liga da Justiça:

– OH MEU DEUS Schultz, precisamos que você nos diga como salvar o mundo. Um míssil nuclear interplanetário está vindo em direção à Terra.

– Ok… rápido, me tragam um chuveiro.

 

Eu não sei vocês… mas eu preciso de BANHO QUENTE e durável.

Então, DONA ELETROGÁS… Dê um jeito no meu aquecedor para que meus posts não comecem no chuveiro e terminem na privada!!!

 

Vila Gumercindo

Faz umas duas semanas que eu estou morando na Vl. Gumercindo. Parece um bom lugar… bem calmo, silencioso, fácil acesso ao Metrô Alto do Ipiranga e às avenidas Cursino, Ricardo Jafet e à Rua Vergueiro.

É um lugar bem gostoso pra se passar a tarde em casa. Sem contar nas manhãs, cheio de canto de passarinho e com dois galos pra te acordar. Bem roça mesmo… bom demais.

Tem várias padarias, lojas de material de construção, despachante, chaveiros, postos de gasolina, pizzarias entre outros.

Mas o que tem aqui AOS MONTES é mecânica.

Aqui tem mais mecânica que igrejinha evangélica no Largo da Batata. O que é muito bom, porque pelo menos não é o contrário.

Por ter muita mecânica na região, eu fico meio preocupado… será que é seguro parar o carro na rua? Será que minhas visitas precisarão parar o carro em estacionamento ou vir de Metrô?

Com essa dúvida em mente, fui às ruas dar uma estudada… e não é que eu encontrei o Grupo de Desmanche da Vila Gumercindo? Dizem que eles fazem apresentações no Capão Redondo, Itaquera e Parelheiros.

Grupo bacana… vou fazer amizade pra vocês poderem me visitar aqui sem precisar sair antes da meia noite.

 

 

“Este post falta com a verdaaade”
– Paulo Maluf